Conhecemos a aula de ciclismo indoor oferecida no novo Studio220

A proposta do treino é simular a experiência real de pedalar na rua, só que dentro de um ambiente controlado e seguro

Por Gislene Pereira Atualizado em 6 dez 2016, 17h31 - Publicado em 6 dez 2016, 17h23

Depois de me aventurar em quase todos os estúdios de bike indoor de São Paulo, não imaginava que ainda poderia ser surpreendida numa aula de spinning. Estava enganada.

Fui conhecer o Studio220 na última segunda (05), que promete oferecer uma experiência real de treino de ciclismo e trabalho de condicionamento como se a aluna estivesse em uma bicicleta de verdade – o modelo tem câmbio Shimano 105 (utilizado em bikes de estrada e montanha), sistema de marcha completo e exige o uso de sapatilha típica dos atletas, por exemplo.

Leia mais: Treinos HIIT: queime muitas calorias em poucos minutos com bike, corrida ou corda

As semelhanças com o esporte não são apenas em relação à magrela: um grande telão multimídia cheio de tecnologia mostra a altimetria de um percurso de verdade (como tours nacionais e internacionais) – com trechos planos, de subidas e descidas – e diversos dados individualizados sobre o desempenho de cada atleta em tempo real, como potência do exercício (watts), frequência cardíaca, cadência…

O legal é que todos os dados do treino são arquivados para a próxima aula. Dessa forma, sua bike é capaz de “reproduzir” suas preferências no próximo encontro e se adaptar à sua evolução.

Continua após a publicidade

Para quem a aula é indicada?

O perfil das alunas vai desde quem não tem o hábito de pedalar (como eu!), mas deseja melhorar o condicionamento e queimar muitas calorias, até atletas que precisam se preparar para uma prova de ciclismo (ou triatlo) específica ou manter o treino em dia.

Minha visão

O ponto mais desafiador: não dá pra roubar! O telão mostra exatamente quando você alcança a zona ideal de treino, mudando a cor do seu desempenho para verde. Então, cada vez que você desacelera, a sala inteira percebe que você está dando uma enrolada – mais um motivo pra se manter firme pelos 45 minutos de aula.

Outro ponto legal é que a postura em cima da bike fixa, semelhante à adotada na rua, diminui as chances de lesões – minha lombar agradeceu muito! – e desenvolve toda a musculatura exigida no ciclismo. Também não senti dores no bumbum, algo bastante comum depois que saio do spinning.

Por isso, se você gosta de andar de bicicleta, mas mora em uma cidade que não oferece segurança aos praticantes, ou precisa treinar num dia em que as condições climáticas não estão favoráveis, essa aula indoor não deixa nada a desejar ao treino convencional.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade