As táticas de Erika Januza para ter uma boa alimentação sem seguir dieta

Atriz confessa que pode fazer um treino pesado com o maior prazer, mas tem muita dificuldade em seguir um regime alimentar

A atriz Erika Januza come direitinho de segunda a sexta – troca o arroz branco pelo integral, prioriza carnes magras e capricha na salada. Mas, de vez em quando, escorrega no fim de semana. E, embora já tenha procurado um nutricionista, nunca conseguiu seguir os planos indicados. “Mesmo que o menu não seja rígido, a alimentação pra mim é a parte mais difícil. Me pede pra fazer um treino pesado. Eu faço chorando, mas faço. Já dieta…”

A saída que ela encontrou foi consultar o médico do esporte especialista em ortomolecular Alessandro Mitraud, do Rio de Janeiro, para equilibrar seu aporte de nutrientes, reduzir o stress e traçar estratégias alimentares sem prendê-la 
a um cardápio fixo. “Embora Erika seja uma celebridade,
 as necessidades dela não são muito diferentes das de outras mulheres modernas. O foco é controlar a ansiedade para que ela consiga dormir melhor e se alimentar bem. Com isso, vai se sentir muito mais disposta para enfrentar os desafios tanto na carreira como nos treinos”, explica Alessandro.

Conta básica

Quando vai montar o prato, Erika o divide ao meio. Metade deve ser composto de proteína. Na outra parte, salada e um ou dois complementos. O médico sugeriu alguns ajustes nas porções de proteína e carboidrato para ajudar na modulação hormonal e, assim, favorecer o ganho de massa muscular e a perda de gordura. Além de suplementação (BCAA, creatina, arginina e glutamina) para melhorar o rendimento e a recuperação pós-treino. “Em 15 dias, já me sentia mais forte e animada!”, conta a atriz.

Para garantir a saciedade, ela aumentou o consumo de ovo (mexido no café da manhã e, à noite, como substituto do jantar quando não costuma fazer uma refeição completa). No almoço, opta por uma proteína com salada e até dois complementos (dependendo do dia, valem arroz e feijão).

Veja também

Quando a rotina de gravação é de 12 horas, não
 dá tempo de fazer um lanche direito. “Aí fico na salada de fruta, que pelo menos é um açúcar do bem. Eu sou muito de doce! Toda vez que vou em casa, minha mãe fala ‘Vai lá ver o que tem na cozinha’. Fico com o coração disparado porque sei que terá uma panela enorme de canjica!”

Assine nossa newsletter e fique por dentro das últimas notícias de BOA FORMA

Erika também
 não abre mão da vitamina de banana, mamão e aveia que toma desde criança. E, até dois meses atrás, não hesitava diante de um refrigerante. “Já troquei por um suco cítrico, mas ainda tenho o mau hábito de beber enquanto como.”

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s