Confira 6 alimentos “saudáveis” que podem conter açúcar

Não confie somente no rótulo: sempre cheque a lista de ingredientes do que for consumir

Por Amanda Panteri 2 nov 2019, 10h30

Sabe aquele ditado “não julgue um livro pela capa”? Pois é. Ele também é válido durante as idas ao supermercado. Isso porque, atualmente, a gente encontra tantas opções de produtos que se dizem saudáveis por aí que fica na dúvida se elas realmente fazem bem, não é mesmo? E é preciso prestar atenção nessa questão, porque muitas marcas acabam escondendo ingredientes nada bacanas nas letrinhas pequenas dos rótulos.

Por isso, pedimos uma ajuda para a nutróloga Nívea Bordin, da Clínica Leger, do Rio de Janeiro. Ela nos alertou sobre alguns itens que muita gente compra achando que são benéficos para o corpo, mas que na verdade escondem (muito) açúcar na composição. E é sempre bom lembrar que o açúcar, quando em excesso, tem um potencial aditivo, pode causar picos de glicose no sangue (o que contribui para o desenvolvimento do diabetes), além de aumentar os riscos de câncer, obesidade e problemas no coração. Veja quais: 

  • Iogurtes

    Mulher comendo iogurte
    GeorgeRudy/Thinkstock/Getty Images

    Não, a gente não está aqui para tirar o mérito desse alimento: o derivado do leite é rico em cálcio e muito importante para crianças e adultos no desenvolvimento e manutenção dos ossos. Contudo, a médica faz um pequeno alerta. “É preciso tomar cuidado, uma vez que a maioria deles têm muito açúcar”. O fato já é até uma preocupação do Ministério da Saúde, segundo ela. 

    “Alguns são cheios corantes, estabilizantes e açúcares, também na forma de xaropes, maltose e frutose”, Nívea complementa. Para ser considerado com um baixo teor do ingrediente, ele deve conter apenas 5g de açúcar para cada 100g de iogurte.

    Por isso, a nutróloga recomenda que você preste muita atenção na tabela nutricional da marca que for escolher. Se ele tiver mais que o recomendado, vale ser trocado por um menos doce. 

    Granola

    granola em bowl
    AnnaPustynnikova/Thinkstock/Getty Images

    Outro alimento que, se bem preparado, traz inúmeros benefícios para o organismo. “A granola é rica em fibras solúveis, que em contato com a água, dão a sensação de saciedade. E também em fibras insolúveis, que absorvem líquidos presentes, aumentando de volume e, consequentemente, formando um maior bolo fecal. Isso melhora o trânsito intestinal e evita a constipação”, explica. 

    Continua após a publicidade

    A composição da granola pode variar e isso depende da marca. Nívea afirma que, normalmente, encontramos uma mescla de cereais, como flocos de arroz, aveia, farelo de trigo e flocos de milho. Muitas delas estão associadas a frutas secas, que apesar de adicionarem mais calorias ao produto, dão um gostinho mais saboroso. E grãos como o amendoim, sementes de linhaça e gergelim também podem estar presentes. O problema? É que alguns preparos ainda incluem, além de tudo isso, muito açúcar.  

  • Isotônicos e sucos de caixinha

    mulher-tomando-suco
    CentralITAlliance/Thinkstock/Getty Images

    Nada como um suco de caixinha ou um isotônico depois do treino, certo? Errado! Ambos são repletos de “açúcar, conservantes, corantes e altos níveis de sódio”, diz a nutróloga, que compara ainda os sucos industrializados como sendo tão ruins quanto o refrigerante. 

    O que beber então? Água ou suco natural! “Os sucos naturais são sempre saudáveis. Quando consumidos sem açúcar, é claro, porque já contém frutose”. Vale optar também por frutas com baixos índices glicêmicos (pera, maçã e melão).

    Temperos industrializados

    São tão pequenos que parecem até inofensivos, não é? Pois é. Os tabletes e caldos de carne e legumes que a gente compra no supermercado são cheios do ingrediente nocivo à saúde. Sem falar no nível absurdo de sódio, que pode chegar a quase 1g por porção (o máximo recomendado pela OMS é de 2g por dia). “Os temperos prontos também apresentam dióxido de titânio. Pesquisas mostram que a presença da substância em alimentos e medicamentos prejudicam a absorção de zinco, ferro e ácidos graxos pelo intestino delgado”, explica a médica.

    Barrinhas de cereais

    Barrinhas caseiras de frutas, castanhas e sementes
    Divulgação/Divulgação

    Cuidado: praticamente todas as barrinhas de cereais contém açúcar. “O importante é escolher aquelas com mais fibras. Ou aquelas com grande quantidade de proteínas. Ela deve ter, pelo menos, 8g de proteínas – algumas chegam a até 30g!”, diz Nívea. Porém, fique de olho na quantidade de sódio: quanto mais ela tem, mais gostosa tende a ser. O mesmo vale para o açúcar. 

    Gelatina

    Bala de gelatina
    Bala de gelatina Divulgação/Divulgação

    “As gelatinas são muito pobres nutricionalmente, têm bastante açúcar e sódio, e nada de fibras, além de uma quantidade mínima de proteínas se comparada com outros alimentos”, explica a nutróloga. Ou seja, se for para matar a vontade de doce, até pode. Mas prefira as versões diet.

    Continua após a publicidade
    Publicidade