Como cuidar do intestino em tempos de quarentena

Tudo está mudando, inclusive o funcionamento do nosso organismo. Veja as possíveis causas da prisão de ventre e como resolver

Por Amanda Panteri 17 abr 2020, 07h49

A quarentena trouxe muitas mudanças — seja na rotina, na organização do trabalho, qualidade do sono e alimentação. Até o corpo pode sentir isso: não é incomum percebermos algumas alterações no funcionamento do mesmo, como o aparecimento da prisão de ventre. Mas o que fazer nessas horas? 

  • De acordo com a nutricionista Luana Romão Nogueira, da Clínica Nutricilla, as duas principais causas são a inatividade física e uma dieta inadequada. “Como muitas pessoas estão trabalhando em casa, saindo apenas para atividades essenciais, estamos nos movimentando muito menos. E isso pode afetar o funcionamento do intestino”, ela explica. 

    Além disso, o baixo consumo de frutas, legumes, verduras e cereais potencializa a constipação. Contudo, outros motivos também podem estar contribuindo para idas menos frequentes ao banheiro, sabia? Luana nos ajuda com alguns deles: 

    1 – Seu estado emocional 

    Estar mais nervoso e estressado por conta da pandemia pode sim prejudicar o intestino. “Tendemos a comer alimentos de baixa qualidade nutricional em maior quantidade. Além disso, há processos hormonais que podem afetar a sua regulação.”

    2 – Má qualidade do sono 

    “Um sono adequado, regular e de qualidade ajuda na melhora do metabolismo e bem-estar no geral. Durante o sono, muito hormônios são produzidos e estão envolvidos em diversos processos do metabolismo corporal”, diz a nutricionista. 

    3 – Baixa ingestão de água 

    A água ajuda em diversos processos do organismo. Incluindo a digestão. Portanto, preste atenção se está ingerindo menos líquidos de uns tempos para cá. Aplicativos como o “Beber Água”, disponível para sistemas iOS e Android, calculam o volume diário ideal para você (baseado no peso), e enviam notificações para te lembrar do hábito. 

  • O que fazer? 

    • “A primeira dica seria se organizar e planejar a alimentação. Faça lista de compras, pense no abastecimento dos alimentos perecíveis como frutas e vegetais, além de cozinhar mais. Quando cozinhamos, temos controle total sobre quais ingredientes estamos usando e forma de preparo”, aconselha Luana Romão; 
    • Consuma frutas, legumes e verduras com regularidade. E, sempre que possível, opte por alimentos integrais”; 
    • Fique atento ao consumo de alimentos com má qualidade nutricional — que possuem excesso de gorduras, açúcar e sal –, bem como à ingestão de bebidas alcoólicas”
    • “Praticar atividade física auxilia na regulação do intestino, pois melhora a motilidade gastrointestinal.”
    Continua após a publicidade
    Publicidade