Elas foram desafiadas a ganhar músculos ou emagrecer em 40 dias

Tabita e Beatriz tinham objetivos diferentes, mas o mesmo tempo para cumpri-los. Veja como conseguiram

Por Amanda Panteri 18 mar 2019, 11h31

O que será que é mais fácil: perder uns quilinhos ou ganhar massa magra? Foram essas as motivações que levaram Tabita Alves, de 31 anos, e Beatriz Zacarias, de 41, a encarar o QDesafio. O programa faz parte da academia Les Cinq Gym, em São Paulo, e promove uma proposta de mudança do corpo em apenas 40 dias. Tabita focou no aumento dos músculos e conseguiu reduzir seu percentual de gordura corporal de 25,6% para 23,4%, enquanto Beatriz, que estava em busca do emagrecimento, deu adeus a 8 quilos. E é claro que fomos perguntar a elas sobre o processo:

Tabita Alves, 31 anos. Percentual de gordura: de 25,6% para 23,4%

Les Cinq Gym/Acervo pessoal

A estilista é goiana, mas mora em São Paulo há um ano para acompanhar o marido, que é médico e trabalha em um hospital na capital do estado. Desde antes de chegar na cidade, Tabita procura manter o estilo de vida saudável, frequentando a academia todos os dias da semana. Em seu cardápio, sempre estiveram presentes as refeições equilibradas, que incluíam os carboidratos complexos (como batata-doce, mandioca e arroz integral), proteínas do ovo, peixe e frango, e muitas frutas, verduras e legumes.

Os treinos de Tabita são montados e acompanhados pelo educador físico Gustavo de Moraes, personal trainer na Les Cinq. Ele conta que, antes do desafio, a rotina da moça visava mais o emagrecimento do que o ganho de massa magra. Para isso, eles faziam o chamado treino metabólico. “A séries prezavam o gasto calórico. Os exercícios tinham mais volume (repetições) e menos carga. Além de serem mais globais, ou seja, ativarem vários músculos em um único movimento”, explica o personal.

  • Como então potencializar os resultados de uma aluna assídua da malhação? “Quando uma pessoa é sedentária, fica muito mais fácil de evoluir em um curto espaço de tempo, o que não era o caso da Tabita”, diz Gustavo. A saída foi dar um up nas atividades físicas, que se tornaram mais complexas e intensas, e na alimentação, que ficou um pouquinho mais restritiva.

    Para promover o crescimento muscular, os músculos precisavam de estímulos específicos. Gustavo trocou séries como o agachamento com desenvolvimento, que ativa diversas regiões do corpo, por exercícios mais individualizados, com muito mais carga e menos repetições. Isso permitiu que cada músculo do corpo de Tabita fosse trabalhado de forma mais intensa.

    “Eu também comecei a seguir os princípios da dieta cetogênica”, diz a estilista. Ela cortou boa parte dos carboidratos dos seus pratos, consumindo-os somente nas frutas e verduras. Pães, arroz, massas e raízes como a mandioca e a batata-doce estavam pro-i-bi-dos. “O foco eram as proteínas e gorduras boas, como as do abacate. De vez em quando, comia até bacon”. O esforço logo começou a fazer efeito: suas taxas de gordura corporal caíram e, depois de apenas 40 dias, as diferenças são visíveis.

    Agora, seu objetivo é continuar evoluindo. “Aumentaremos a complexidade dos exercícios”, explica o educador físico. E Tabita parece animada. “Encarei o desafio porque queria colocar uma meta para mim mesma. Ver que pude alcançá-la me deu mais motivação para continuar”.

    Continua após a publicidade

    Beatriz Zacarias, 41 anos. Peso: de 69,8 kg para 61,7 kg

    Les Cinq Gym/Acervo pessoal

    A história da psicóloga Beatriz Zacarias, de São Paulo, é bem diferente. Ela não era fã de esportes (com exceção do Ballet Fitness, que sempre amou), mas fez a matrícula na academia há dois anos atrás, buscando perder os 6 quilos que ganhou após um tratamento de saúde.

    Antes da mudança, Beatriz inventava qualquer desculpa para fugir dos pesos e aparelhos. Para ela, as aulas que realmente interessavam eram as que promoviam os exercícios aeróbicos, como a dança e a bike. E isso quando aparecia na academia. “Eu confesso que não tinha uma boa frequência. E para piorar, não cuidava da alimentação”, diz.

    Um dia de pizza, outro de hambúrguer, um pão de queijo no final da tarde e happy hour com cerveja à noite… Ela foi mantendo a rotina despreocupada até o começo do ano, quando percebeu que havia ganhado mais 4 quilos. No total, precisava eliminar 10! Recorreu então à educadora física Eliane Araújo Oliveira Santos, também personal trainer na Les Cinq. “A Beatriz veio a mim com um pedido: ela queria emagrecer, mas não ficar flácida”.

    Quando passamos por um processo de perda de peso, é normal que a eliminação das gorduras corporais deixe os tecidos e pele mais soltos, e por consequência, mais flácidos. Não permitir que isso acontecesse passou a ser então o desafio da psicóloga. “Tivemos que focar na musculação. Com ela, o processo de emagrecimento funciona como uma troca: ao mesmo tempo em que você perde gordura, fortalece a musculatura, garantindo assim maior rigidez”, explica Eliane.

  • Para encarar uma atividade que não era muito a sua praia, Beatriz faz treinos de musculação três vezes por semana, de no máximo 30 minutos cada, e depois vai às aulas que tanto curte. Desse modo, as práticas aeróbicas garantem a queima de calorias, enquanto o levantamento de peso deixa tudo no lugar. “É uma sessão metabólica, com muitas repetições e menos carga. Procurei incluir na planilha movimentos multiarticulares, que conseguem abranger várias musculaturas diferentes. O supino no lugar do crucifixo, por exemplo”, diz a personal. Elas também diminuíram o tempo de descanso entre as séries — isso aumenta a frequência cardíaca e acelera a queima de gordura.

    Outro aspecto da vida de Beatriz que mudou completamente foi a sua alimentação. Nos primeiros 30 dias de desafio, ela optou pela dieta low carb, em que cortou pães, arroz e massas. Nos 10 dias restantes, fez que nem a Tabita e partiu para a cetogênica. Aí, todas as outras fontes de carboidratos que ainda consumia (como a banana e a batata-doce), foram totalmente cortados. Não foi uma tarefa fácil para ela. “Acho que entendi, pela primeira vez, o estilo de vida saudável. Não dá para comer frituras todos os dias”, diz. Quando a vontade bate, ela ainda se permite optar por um docinho e uma massa, mas eles agora são exceções na rotina diária.

  • Beatriz não demorou muito para perceber os efeitos positivos de todas as modificações que fez. Em 40 dias, além de emagrecer 8 quilos (passou de 69,8 quilos para 61,7), seu percentual de gordura no corpo diminuiu de 35,7% para 31,2%, tudo sem ficar flácida! “Quando você se olha no espelho e vê que seu corpo está ganhando a forma desejada, você começa a ficar apaixonada por si mesma. O desafio, para mim, é desafio de mudança de vida mesmo”.

    Continua após a publicidade
    Publicidade