6 mitos sobre meditação que fazem você se distanciar dela

Iniciar a prática pode ser menos complicado do que você imagina. Entenda por quê

Por Amanda Panteri - Atualizado em 18 jun 2020, 17h45 - Publicado em 22 abr 2020, 10h29

Que a meditação é uma grande aliada em momentos como o que estamos passando agora, você já deve ter escutado. Mas saiba também que começar a praticá-la pode ser muito simples e fácil. “Nós acreditamos em algumas mentiras sobre a meditação que acabam nos distanciando dela. A questão é que precisamos enxergá-la como um exercício para o cérebro — assim como a atividade física é para o corpo. Vendo dessa forma, a pessoa fica mais aberta a experimentar”, explica Alexandre Ayres, sócio-fundador da MindSelf (@mindself_meditacao). 

Ele, inclusive, confessa que já teve muitos preconceitos. “Na época, eu era diretor de um grande banco e andava muito estressado. Então, um médico me recomendou a prática, mas eu relutei um pouco para iniciar”, conta. Foi depois sentir os benefícios que ele procurou se especializar na área e abrir a própria empresa, que hoje presta consultorias voltadas para meditação e mindfulness

Dentre as vantagens que adotar o hábito traz, Alexandre cita a diminuição da liberação de hormônios como o cortisol e adrenalina no organismo — muito ligados a sentimentos como estresse e ansiedade –; a produção de serotonina, dopamina e oxitocina (conhecidos pela sensação de bem-estar); além do reforço no sistema imunológico (estudos atuais já relacionam a meditação com um sono melhor e mais trocas celulares). 

O que está te impedindo de começar agora? A seguir, o especialista nos ajuda a refutar 6 mitos sobre a meditação: 

1 – Para meditar, é preciso esvaziar a mente

Não adianta: nosso cérebro foi programado para pensar e os pensamentos surgem naturalmente. Então, não tente controlá-los e nem se julgue incapaz de meditar por isso. “Com o tempo você se distrairá menos e conseguirá manter o foco e a concentração. Por enquanto, exercite a mente para lidar melhor com a enxurrada de informações que passa por ela.”

2 – É preciso meditar na posição de lótus

Sim, a postura é boa porque nos ajuda a deixar a coluna ereta e os ombros relaxados, abrindo nossa caixa torácica e facilitando a respiração (muito importante para a prática). Contudo, não é todo mundo que aguenta ficar assim por um longo período. “Eu não vejo problema nenhum em meditar em uma cadeira, por exemplo, desde que você sente de uma forma que te deixe livre para respirar”, diz Alexandre. 

Continua após a publicidade

Na cama ou deitado, por outro lado, pode ser bom no fim do dia, pois relaxa mais o corpo e te ajuda a pegar no sono. 

3 – Você tem que ser religioso (ou apegado à espiritualidade) para meditar

Mais um mito que faz sentido — afinal, a meditação nasceu junto com práticas religiosas asiáticas, como o budismo e o hinduísmo. O próprio ato de orar, presente em religiões cristãs do Ocidente, lembra um pouco a meditação. Contudo, não é necessário ter essa conexão para praticar. “Diversas abordagens utilizam a atividade por causa de seus benefícios terapêuticos e para o corpo”, afirma Alexandre. 

4 – Preciso separar muitos minutos do meu dia 

“Com 15 a 20 minutos de prática por dia, você já consegue desenvolver seu cérebro e usufruir dos benefícios. E estudos já comprovaram que não há grandes diferenças se aumentarmos esse tempo para mais de meia hora”, explica o especialista. 

O que conta, de acordo com ele, é a regularidade. Se feita todos os dias, além de treinar melhor a mente, a meditação acaba se tornando um hábito. “E é preciso aceitar também que alguns dias são mais produtivos, já em outros estamos mais irritados. Isso não deve ser encarado como um grande problema.”

5 – Vou ficar muito sonolento

Acontece o contrário: meditar vai te deixar mais calmo, mas ao mesmo tempo mais descansado. E, consequentemente, você se sentirá com mais foco e concentração para realizar as tarefas diárias. “Estudos feitos com pessoas experientes mostraram que 20 minutos de meditação significou, para elas, o equivalente a duas horas de sono.”

6 – É preciso um lugar especial

Você olha imagens de pessoas meditando em lugares cinematográficos e aí desanima, não é? “Não há lugar certo e você não precisa de silêncio absoluto! Você pode fazer em qualquer canto confortável na sua casa, no seu trabalho… Onde você quiser e puder.” 

Continua após a publicidade
Publicidade